Menu

Resenha | Para sempre Alice

28 de junho de 2015

Alice Howlands é uma professora de Linguísitca da Lilian Young, Universidade de Columbia. Aos 40 anos, ela começou a perceber que se esquecia de muitas coisas, muitas delas muito recentes. Ao fazer testes consigo mesma, foi procurar um neurologista, que diagnosticou uma doença: Alzheimer precoce. Infelizmente a doença não tem cura, e o pior: ela se agrava até levar a morte.

O primeiro sintoma notado foi quando em uma corrida de costume, Alice se perdeu. Depois de uns minutos tentando voltar a si, conseguiu voltar para a casa causando preocupação ao marido, que de início não acreditava que sua esposa contraíra a doença. Cada dia para Alice, os três filhos e o marido era uma luta que não para.


Com medo do que a doença poderia causar, Alice gravou um vídeo e o armazenou no computador em uma pasta chamada "borboleta" para que, futuramente, ao não se lembrar de mais nada, pudesse ouvir. E realmente aconteceu. Em um dia específico, depois de vários esquecimentos como não lembrar onde guardou o celular durante um mês, não lembrar onde ficava o banheiro, não lembrar quem era sua filha, decidiu ouvir e fazer o que o vídeo dizia.

A história do filme é muito contagiante, por ser um tema real e que, querendo ou não, pode acontecer com qualquer um de nós. Assistindo esse filme pude perceber o quanto minha bisavó Luiza sofreu, pois também tinha a doença.
Gostaria de comentar que a atriz principal Alice (Julianne Moore), fez um ótimo papel, interpretando muito bem a realidade.

É só dar play no trailer para se encantar e querer assistir o filme agora mesmo!

2 comentários

 
Desenvolvido por Michelly Melo.